O DESENVOLVIMENTO INOVATIVO EM CLUSTERS: uma análise sobre o setor cerâmico em Campos dos Goytacazes – RJ

Edson Terra Azevedo Filho, Georgia Maria Mangueira de Almeida, Manuel Antonio Molina Palma

Resumo


A proposta do trabalho foi investigar o nível de desenvolvimento inovativo de um conjunto de empresas que fazem parte do cluster de cerâmica da cidade de Campos dos Goytacazes – RJ. O referido grupo de empresas que se caracteriza como unidade de análise é uma rede de treze empresas denominada Rede Campos Cerâmica (RCC), fundada em 2004. Para o alcance dos objetivos propostos foi efetuada uma análise comparativa entre práticas inovadoras geradoras de vantagens competitivas em clusters de sucesso de acordo com a literatura especializada no tema. Através da realização de um estudo de caso foi possível conhecer a realidade das empresas analisadas em relação à implementação de ações inovadoras e na transformação destas em diferenciais competitivos. Ao final do trabalho foi possível identificar o nível de desenvolvimento inovativo do referido grupo e a sua capacidade de geração de vantagens competitivas que permitem sua sobrevivência e diferenciação no mercado.

 

The purpose of this study was to investigate the level of innovative development of a set of companies that are part of the cluster of ceramic in Campos dos Goytacazes – RJ. This group of companies characterized as the unit of analysis is a network of thirteen companies named Rede Campos Cerâmica (RCC), founded in 2004. In order to achieve the proposed objectives was performed a comparative analysis of generating innovative practices for competitive advantage in successful clusters according to the literature on the subject. By conducting a case study it was possible to know the reality of companies analyzed in relation to the implementation of innovative actions and the transformation of these actions in competitive advantages. At the end of the study it was possible to identify the level of innovative development of the group and its ability to generate competitive advantages that allow their survival and differentiation in the market.


Palavras-chave


Inovação; Clusters; Desenvolvimento Regional; Setor Cerâmico

Texto completo:

PDF

Referências


AMATO NETO, João. Redes de cooperação produtiva e clusters regionais – oportunidades para as pequenas e médias empresas. São Paulo. Atlas: Fundação Vanzolini, 2000.

CASSIOLATO, José Eduardo; SZAPIRO, Marina. Arranjos e Sistemas Produtivos e Inovativos Locais no Brasil In: CASSIOLATO, José Eduardo; LASTRES, Helena Maria Martins; MACIEL Maria Lucia. (orgs.) Políticas para Promoção de Sistemas Produtivos Locais de MPME. Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2002.

CASSIOLATO, José Eduardo; LASTRES, Helena Maria Martins. O foco em Arranjos Produtivos e inovativos locais de micro e pequenas empresas. In: CASSIOLATO, José Eduardo; LASTRES, Helena Maria Martins; MACIEL Maria Lucia. (orgs.) Pequena Empresa: cooperação e desenvolvimento local. Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2003.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

LASTRES, H. M. M.; CASSIOLATO, J. E.; MACIEL, M. L. (Orgs.) Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro: Relume Dumará: UFRJ, Instituto de Economia, 2003.

REDESIST. Rede de Sistemas Produtivos e Inovativos Locais. Disponível em: . Acesso em: 15/11/2008.

DEZI L.; SCHIAVONE F. Managerial Styles within an Italian Industrial District: Two different successful stories. Artigo apresentado na EURAM Conference, St. Andrews University, mai. 2004.

DINIZ, Clélio Campolina. Papel das Inovações e das Instituições no Desenvovimento Local. In: XII FÓRUM NACIONAL - INSTITUTOS DE ALTOS ESTUDOS, Rio de Janeiro, maio de 2000.

GARCIA, R., SANTOS, M. Oportunidades de Negócios para Pequenas e Médias Empresas em Aglomerações Industriais. PIC-EPUSP n. 2, 2004.

GIDDENS, A. As Consequências da Modernidade. São Paulo: Ed Unesp, 1991.

IGLIORI, Danilo Camargo. Economia dos Clusters Industriais e Desenvolvimento. São Paulo: Iglu: FAPESP, 2001. 147 Páginas. Resenha.

JUNG, Carlos Fernando. Metodologia para a Pesquisa & Desenvolvimento aplicada a novas tecnologias, produtos e processos. Rio de Janeiro: Axcel Books , 2004. 312 p.

LASTRES, H.M.M. CASSIOLATO, J.E. LEMOS, C. MALDONADO, J.VARGAS, M. Globalização e Inovação Localizada. Rio de Janeiro Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro – IE/UFRJ.. 1998. (Nota Técnica 01/98. Projeto de Pesquisa Globalização e Inovação Localizada.). Projeto concluido. Disponível em: . Acesso em 22/11/2008.

MARSHALL A. (1890, here in reprinted version of 1925): “Principles of economics” 8.edt. MacMillan. London.

MAXIMIANO, A. C. A.; SBRAGIA, R.; KRONER, W. O gerente do projeto "peso-pesado": um estudo de caso. Econ. Empresa, São Paulo, v.4, n.1, p. 33-44, jan.- mar. 1997.

NICOLUCI, M. V.; MANDELLI, I. M.; CORREIA, P. C. ; SHIMA, W. T. Organização Industrial: Sistemas Industriais de mpme s como Estratégia para Formação de Empreendimentos Competitivos. Revista de Administração (UNIPINHAL. Online), v. 7, p. 28-46, 2007.

PORTER, M. Vantagem Competitiva das nações. Rio de Janeiro: Campus, 1993.

PURCIDONIO, P. M. ; FRANCISCO, A. C. . Práticas de Gestão do Conhecimento: Um Estudo de Caso em uma Indústria do APL do Setor Moveleiro de Arapongas. Revista Gestão Industrial (Online), v. 03, p. 70-81, 2007.

REIS, D. R. Gestão da Inovação Tecnológica. São Paulo: Manole, 2004.

RIBEIRO, Alcimar das Chagas; ARICA CHÁVEZ, José Ramon. Organização Produtiva local: uma estratégia para capacitar espaços periféricos. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza: Banco do Nordeste, v. 35, n. 4, p. 477-499, out./dez. 2004.

SANTOS. G. A. G.; DINIZ. E. J.; BARBOSA, E. K. Aglomerações, Arranjos Produtivos Locais e Vantagens Competitivas Locacionais. Revista do BNDES, Rio de Janeiro, V. 11, N.22, P. 151-179, DEZ.2004.

SANTOS, Milena Delalata dos; GARCIA, Renato de Castro. Oportunidades de negócios para pequenas e médias empresas em aglomerações industriais. Produção em Iniciação Científica da Escola Politécnica da USP, PIC-EPUSP, São Paulo, n.2, 2004.

SCHMITZ, H. “Global competition and local cooperation: success and failure in the Sinos Valley, Brazil”, World Development, v. 27, n. 9, p. 1627-1650.1999.

SEBRAE. Termo de referência para atuação do sistema SEBRAE em arranjos produtivos locais. Brasília: SEBRAE, 2003.

STAINSACK, C. Governança em arranjos produtivos locais: experiências do Paraná. Publicações do Sistema FIEP - Sistema Federação das Indústrias dos Paraná Curitiba, set. 2006.

SUZIGAN, W. ; FURTADO, João ; GARCIA, Renato de Castro . Estruturas de Governança em Arranjos ou Sistemas Locais de Produção. Gestão e Produção (UFSCar), v. 14, p. 425-439, 2007.

SUZIGAN, W. Aglomerações Industriais: Avaliação e Sugestões de Políticas. In: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; Instituto Evaldo Lodi. (Org.). Futuro de Indústria: Oportunidades e Desafios - a Reflexão da Universidade. Brasília: Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, 2001, v. , p. 49-67.

YIN, R.K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. trad. Daniel Grassi _3ª ed._Porto Alegre: Bookman, 2005. 212 p.




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2014.v7i1.98

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.