Competências Empreendedoras: um estudo dos acadêmicos do curso de Administração de Empresas

Hadna Cordeiro Campelo, Paulo Roberto Campelo Fonseca e Fonseca, Thiago Cardoso Ferreira, Kassyo Augusto Lima de Souza

Resumo


O seguinte artigo tange a respeito do conceito geral das competências empreendedoras e de suas contribuições em função de seu desenvolvimento em alunos do curso de administração. Como problemática, a referida pesquisa procurou saber Que tipos de competências empreendedoras a graduação em administração de empresas mais forma em seus discentes? Sendo assim, este trabalho tem como objetivo analisar quais são as competências empreendedoras exigidas pelo mercado de trabalho do século XXI que são mais formadas nos discentes do curso superior de administração de empresas. A pesquisa foi aplicada com 100 discentes formandos do curso de Administração de empresas na Universidade CEUMA, uma IES privada de São Luís, os quais responderam 15 afirmações geradas com auxílio do GoogleForms. A análise foi quantitativa e a tabulação feita com auxílio do programa estatístico Sphinx. Por meio dos resultados obtidos, notou-se que a competência empreendedora mais evidenciada nos alunos de administração foi a estratégica com um desvio padrão de 0,69 e a menos evidenciada foi a conceitual com 0,92, demonstrando assim, que os discentes de administração da IES estudada possuem altos níveis de competência estratégicas e ainda receio de iniciarem empreendimentos.

 

The following article deals with the general concept of entrepreneurial skills and their contributions in function of their development in students of the administration course. As problematic, the referred research sought to know What types of entrepreneurial skills the undergraduate in business administration more form in its students? Thus, this paper aims to analyze which are the entrepreneurial skills demanded by the labor market of the XXI century that are more formed in the students of the superior course of business administration. The research was applied with 100 students graduating from the Business Administration course at CEUMA University, a private HEI from São Luís, who answered 15 statements generated with the help of GoogleForms. The analysis was quantitative and the tabulation was done using the Sphinx statistical program. By means of the obtained results, it was noticed that the entrepreneurial competence more evidenced in the students of administration was the strategic one with a standard deviation of 0.69 and the less evidenced was the conceptual one with 0,92, demonstrating, thus, that the students of administration of the IES studied have high levels of strategic competence and I am still afraid to start ventures.


Palavras-chave


Competências Empreendedoras; Mercado de Trabalho; Empreendedorismo;

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, A.A. de; PEREIRA, C.M. M. A.. Empreendedorismo e crescimento econômico: uma análise empírica. Revista de Administração Contemporânea. 2008, vol. 12, n. 4. Disponível em: . Acessado em: 23 jun. de 2017.

CONAGE - Confederação Nacional dos Jovens Empreendedores. Perfil do Jovem Empreendedor Brasileiro. Relatório Executivo 2016. Disponível em: . Acesso em 14 nov. de 2018.

CRÚZ JÚNIOR, J. B.; ARAÚJO, P. C.; WOLF, S. M.; RIBEIRO, T. V. A.. Empreendedorismo e Educação Empreendedora:Confrontação entre teoria e prática. Revista de Ciências da Administração. 2006. Disponível em: . Acessado em: 24 abr. 2018.

DEGEN, R. J.. Empreendedorismo: Uma filosofia para o desenvolvimento sustentável e a redução da pobreza. Revista de Ciências da Administração, v. 10, n. 21, mai./ago. 2008. Disponível em: < https://periodicos.ufsc.br/index.php/adm/article/view/2175-8069.2008v10n21p11/12663>. Acessado em 24 abr. de 2019.

DOLABELA, F.. Oficina do Empreendedor: A metodologia de ensino que ajuda a transformar conhecimento em riqueza. 8° Edição. Rio de Janeiro: Editora Sextante, 2008.

FONSECA, P. R. C. F.. A Nova Educação Profissional para o Trabalho no Brasil do Século XXI. 1° Edição. Salvador, Ase Editorial, 2017.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Pesquisa. Desemprego atinge 14 milhões de pessoas. Edição de estatísticas econômicas, 2018.

LIMA, T. C. de; MAURICIO, N. M. M.. Tendência Empreendedora: Perfil dos acadêmicos do curso de administração de uma IES do Tocantins. Revista Científica do ITPAC,AraguaínaDisponível em:. Acessado em 20 ago. de 2017.

LOPES, R. M. A.. Educação Empreendedora: Conceitos, Modelos e Práticas. Rio de Janeiro: Elsevier; São Paulo: Sebrae 2010.

MACHADO, H. P. V.. NASSIF, V. M. J.. Réplica - Empreendedores: Reflexões sobre Concepções Históricas e Contemporâneas. RAC, Rio de Janeiro, v. 18, n. 6, pp. 892-899, Nov./Dez. 2014. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rac/v18n6/1982-7849-rac-18-6-0892.pdf>. Acessado em: 24 abr. de 2019.

MAMEDE, M. I. B.; MOREIRA, M. Z.. Perfil de competências empreendedoras dos investidores Portugueses e Brasileiros: Um estudo comparativo na rede hoteleira do Ceará. Anais do XXIX Encontro Anual da Associação de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Brasília, 2005. Disponível em: . Acessado em 20 agosto de 2017

MAN, T. W. Y.; LAU, T.. Entrepreneurial Competencies Of Sme Owner/Managers In The Hong Kong Services Sector: A Qualitative Analysis. Journal of Enterprising Culture Vol. 8, No. 3, Set. 2000.

MELLO, S. C. B.; LEÃO, A. L. M. S.; PAIVA JÚNIOR, F. G. Competências empreendedoras de dirigentes de empresas brasileiras de médio e grande porte que atuam em serviços da nova economia. Revista de Administração Contemporânea - RAC, v. 10, n. 4, Out./Dez. 2006. Disponível em:. Acessado em: 25 abr. de 2019.

NASSIF, V. M. J., AMARAL, D. J., PRANDO, R. A.. A universidade desenvolve competências empreendedoras? Um mapeamento das práticas de ensino numa univer- sidade brasileira. RAEP, administração Ensino e Pesquisa. v13, n3, 2012.. Disponível em: .

RIBEIRO, P. E.; BERNARDES, M. A. O papel da universidade no desenvolvimento do comportamento empreendedor em regiões carentes. Revista Eletrônica Gestão e Serviços, v.5, n. 2, 2014.

SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio a Pequenas Empresas. Caderno de Ferramentas: Programa Negócio a Negócio. Brasília, 2016.

SOUZA, D. L. de; ZAMBALDE, A. L..Desenvolvimento de competências e o ambiente acadêmico: um estudo em cursos de Administração de Minas Gerais, Brasil. Rev. Adm. vol.50, n.3, 2015, Disponível em: . Acessado em 25 ago. de 2017.

VALE, G. M.V.; CORREA, V. S.; REIS, R. F. dos.Motivações para o empreendedorismo: necessidade versus oportunidade? Rev. adm. contemp. [online]. vol.18, n.3, 2014. Disponível em: . Acessado em 17 jun. de 2017.

ZAMPIER, M. A.; TAKAHASHI, A. R. W.; FERNANDES, B. H. Sedimentando as bases de um conceito: as competências empreendedoras. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 2012. Disponível em: .




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2019.v12i2.659

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Foco

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.