Qualidade de Vida no Serviço Público: um comparativo entre funcionários efetivos e terceirizados do setor de segurança em uma universidade federal

Kaio Junior Barreto da Silva, Diogo Barbosa Leite, Ávilo Roberto de Magalhães

Resumo


Este artigo apresenta uma investigação que justifica a relevância da Qualidade de Vida no Trabalho entre diferentes categorias, seja efetivo ou terceirizado da área de vigilância de uma universidade. O objetivo fundamental é analisar as semelhanças e diferenças relativas à Qualidade de Vida no Trabalho entre os profissionais efetivos e terceirizados do setor de segurança da universidade pesquisada. A pesquisa caracteriza-se descritiva, com pesquisa bibliográfica e documental, por meio do uso da técnica de levantamento. Os profissionais participaram de entrevistas de profundidade e responderam a um questionário estruturado a partir do WOHQL-Bref - World Health Organization Quality of Life – Bref e da Escala do Inventário de Sintomas de Stress para Adultos - ISSL adaptado. A contribuição deste estudo reside na revisão bibliográfica do tema em questão, assim como a discussão quanto as semelhanças e diferenças em termos de qualidade de vida entre as categorias. Dentre os principais resultados, reforça-se a relevância dos estudos de QVT no ambiente de trabalho principalmente entre profissionais da área de vigilância. No estudo detectou-se que os vigilantes não se percebem estressados no exercício da atividade e de modo geral o nível da qualidade de vida de ambas categorias é semelhante.

 

This article presents an investigation that justifies the relevance of Quality of Life in Work among different categories, be it effective and outsourced in the surveillance area from a university. The main objective is to analyze the similarities and differences related to the Quality of Life in the Work between the effective professionals and outsourced of the security sector of the of the researched university The research is characterized by descriptive, bibliographical and documentary research, through the use of the survey technique. The professionals participated in in-depth interviews and responded to a questionnaire structured from the WOHQL-Bref - World Health Organization Quality of Life - Bref and Adapted ISSL Inventory Scale for Adults - ISSL. The contribution of this study resides in the bibliographical review of the subject in question, as well as the discussion about the similarities and differences in terms of quality of life between the categories. Among the main results, the relevance of QLW studies in the work environment is reinforced mainly among professionals in the surveillance area. In the study it was detected that the vigilantes do not perceive themselves stressed in the activity exercise and in general the level of quality of life of both categories is similar.


Palavras-chave


Qualidade de Vida no Trabalho; Sintomas de Estresse; Segurança

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, T. N. G. F. Qualidade de vida no trabalho: preocupação também para servidores públicos? Revista Eletrônica de Ciência Administrativa (RECADM) v. 9, n. 1, p. 35-48, Maio 2010. Disponível em: file:///C:/Users/90008725/Downloads/Dialnet-QualidadeDeVidaNoTrabalho-4058746.pdf, Acesso em 23 ago. 2016.

BALDIN, Nelma ; MUNHOZ, Elzira M. B. Snowball (bola de neve): uma técnica metodológica para pesquisa em educação ambiental comunitária, 2011. Disponível em: http://educere.bruc.com.br/CD2011/pdf/4398_2342.pdf. Acesso em 22 de setembro de 2016.

BITENCOURT, Claudia et al. Gestão contemporânea de pessoas – novas práticas, conceitos tradicionais. Porto Alegre, Bookman, 2004.

BORTOLOZO, A. SANTANA, D. D. Qualidade de vida no trabalho: os fatores que melhoram a qualidade de vida no trabalho. 1º Simpósio Nacional de Iniciação Científica, 2011. Disponível em: http://www.unifil.br/portal/arquivos/publicacoes/ paginas/2012/1/420_685_publipg.pdf. Acesso em 9 de Setembro de 2016.

BRASIL, Portaria GR nº 309, de 12 de abril de 2010.

BRIEF, A. P.; SCHULER, R. S.; VAN SELL, M. Managing job stress. Boston: Little, Brown.com, 1981.

CARVALHO, J. F.; MARTINS, E. P. T.; LÚCIO, L.; PAPANDRÉA, P. J. Qualidade de vida no trabalho e fatores motivacionais dos colaboradores nas organizações. Educação em Foco, nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, 2013.

CORREIA, A. P. Uma análise dos fatores de risco da profissão do agente penitenciário: contribuições para uma política de segurança e saúde na gestão penitenciária. 66f. 2006. Monografia (Especialização). Gestão Penitenciária, Departamento de Ciências Sociais, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2006.

CONTE, Antonio Lázaro. Funcionário com qualidade de vida no trabalho são mais felizes e produzem mais. Revista FAE Business, Santa Catarina, no. 7, p. 32-34, 2003.

CRESWELL, W. J. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto, 2. ed., Porto Alegre: Artmed, 2007.

FERNANDES, Eda. Qualidade de Vida no Trabalho: Como medir para melhorar 2.ed.Salvador/BA :Casa da Qualidade,1996

FERREIRA, M. C. Qualidade de Vida no Trabalho: Uma Abordagem Centrada no Olhar dos Trabalhadores. 1ª Ed. Brasília: LPA, 2011.

FRANÇA, Ana Cristina Limongi; RODRIGUES, Avelino Luiz. Stress e trabalho: uma abordagem psicossomática. 2ª Ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LACAZ, Francisco Antônio de Castro. Qualidade de vida no trabalho e saúde/doença. Ciência ; Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 151-161, 2000.

LIPP. M.N. Manual do Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp (ISSL). São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000.

LIMONGI FRANÇA, Ana Cristina. Qualidade de Vida no Trabalho - QVT: Conceitos e práticas nas empresas da sociedade pós-industrial. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

MAXIMIANO, A. C. A.Introdução à Administração. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2000.

MIRANDA, C. O desafio em manter funcionários motivados: os fatores motivacionais para o trabalho. Monografia, 83f (MBA em gestão de recursos humanos) – Escola Superior Aberta do Brasil - ESAB, Vila Velha – ES, 2009.

OLIVEIRA, A. Empresas de vigilância no sistema de prestação de serviços de segurança patrimonial privada: uma avaliação da estrutura de governança. Tese (Doutorado em Ciências Econômicas). São Paulo: USP, 2004.

OLIVEIRA, L. M. P. ; BARDAGI, B. P. M. Estresse e comprometimento com a carreira em policiais militares. Bol. psicol vol.59 no.131 São Paulo dez. 2009

PASCHOAL, T. ; TAMAYO, A. Validação da escala de stress no trabalho. Estudos de Psicologia, 9, 2004.

PILATTI, Luiz A. Qualidade de vida no trabalho e teoria dos dois fatores de Herzberg: possibilidades-limite das organizações. Revista Brasileira de Qualidade de Vida. 04 (01), 18-24, 2012.

PRODANOV, C. C; FREITAS, C. E. Metodologia do trabalho científico: Método e técnicas de pesquisa e do trabalho acadêmico. 2ª Ed. Rio Grande do Sul: Feev/ale. 2013.

RAMO, M. S. S. Análise da Qualidade de Vida no Trabalho na empresa Brinks: Na percepção dos vigilantes. Trabalho de conclusão. Curso de Administração, Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, Santa Catarina, 2011.

RANGE, B. Psicoterapia comportamental e cognitiva: Pesquisa, prática, aplicações e problemas. São Paulo: Livro Pleno. 2001.

RIBEIRO, L. A; SANTANA, L. C. Qualidade de vida no trabalho: fator decisivo para o sucesso organizacional. Revista de Iniciação Científica – RIC Cairu. Jun. 2015, Vol 02, n° 02, p. 75-96, 2015. Disponível em: http://www.cairu.br/riccairu/pdf/artigos/2/06_QUALIDADE_VIDA_TRABALHO.pdf. cesso em 04 de abril de 2017.

TAMAYO, Estresse e cultura organizacional. 1ª edição, São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008.

VIEIRA, C.E.C; LIMA, F.P.A; LIMA, M.E.A, O cotidiano dos vigilantes: Trabalho, saúde e adoecimento. Belo Horizonte: Fumarc, 2010.

VIEIRA, Débora Feijó V. B. ; HANASHIRO, Darcy Mitiko M. Visão introdutória de qualidade de vida no trabalho. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v.11, nº 2, 1990.

WALTON, R. E. quality of working life: what is it? slow management review, V. 15, N. 1, 1973.

WESTLEY, W. A. Problems and solutions in the quality of working life. humans relations, V. 32, N. 2, 1979.




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2018.v11i3.603

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Foco

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.