REMUNERAÇÃO COMO FATOR MOTIVACIONAL: tem razão a Teoria da Expectância?

Jocelia Angela Guiiere da Silva

Resumo


Este artigo visa identificar, à luz da Teoria das Expectativas, se a remuneração exerce influência motivacional sobre profissionais nas organizações. Sua relevância prática reside no fornecimento de conteúdo que possa contribuir com a Gestão de Pessoas no desenvolvimento de políticas de gestão de cargos, salários, benefícios e carreiras. Do ponto de vista teórico, contribui por ampliar o conhecimento do impacto motivacional da remuneração sobre as relações de trabalho. Os resultados mostraram que embora a Teoria da Expectância tendo razão, as organizações contemporâneas não têm valorizado a gestão da remuneração como um importante vetor para seus objetivos possam ser alcançados.


Palavras-chave


Gestão de Pessoas; Motivação; Remuneração; Salário

Texto completo:

PDF

Referências


BANOV, M. R. Psicologia no gerenciamento de pessoas. 1.ed. 2. reimpr. São Paulo: Atlas, 2009.

BERGAMINI, C.W., Motivação: Uma viagem ao centro do conceito, RAE– Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v.1, n.2, p. 63-67, Nov.2002/Jan. 2003.

BERGAMINI, Cecília Whitaker. Motivação nas Organizações. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

CHIAVENATO, Idalberto. Recursos humanos: o capital humano das organizações. 9 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

CRAIDE, A.; FISCHER, T. M. D.; DRUMOND-ABDALA, V.; BRITO, A. C. de. (2011) Intramobilidade e Interculturalidade Intranacional: desafios contemporâneos de profissionais brasileiros. XXXIV ENCONTRO ANUAL DA ANPAD. Rio de Janeiro/RJ: Anais… ANPAD, 2011.

GUMIERE DA SILVA, J. A. (2013). Expectativas e Empregabilidade de estudantes de Cursos Superiores de Tecnologia. Científica Cet-Faesa. Prelo.

HU, M. & XIA, J. (2010). A preliminary research on self-Initiated expatriation as compared to assigned expatriation. Canadian Social Science. Vol. 6, No. 5, pp. 169-177.

LAWLER III, E. (1971). Pay and organizational effectiveness: A psychological view. New York: McGraw-Hill.

MAXIMIANO, A.C.A. Introdução à Administração. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2000.

OLIVEIRA, F. B.; SANT'ANNA, A. S.; VAZ, S. L. Liderança no contexto da nova administração pública: uma análise sob a perspectiva de gestores públicos de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Rev. Adm. Pública [online]., vol.44, n.6, pp. 1453-1475. ISSN 0034-7612. (2010).

PABLO, A.L.; REAY, T.; DEWALD, J.R.; CASEBEER, A.L. (2007) Identifying, enabling and managing cynamic capabilities in the public sector. Journal of Management Studies, v. 44, n. 5, p. 687-708, 2007.

ROBBINS, S.P. Comportamento Organizacional. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

SATT, G.P.M; CRISTELLO, E.M. Motivação versus Produtividade: o impacto do fator motivação na produtividade das organizações. Anuário da Produção Científica dos Cursos de Pós-Graduação. v. IV, n. 4, 29-46, 2009.

VROOM, V. H. Work and Motivation. New York: John Wiley, 1964.

WOOD JR. T. PICARELLI FILHO, V. (coordenador). Remuneração Estratégica. 3 ed.rev.e amp. 5 reimpr. São Paulo: Atlas, 2011.




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2013.v6i1.55

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.