Conflitos de gerações no ambiente de trabalho: o caso da Procuradoria Geral do Trabalho (PGT)

Rayanne Fidélis de Sousa, Adalmir de Oliveira Gomes

Resumo


Este estudo teve como objetivo identificar a percepção de trabalhadores da Procuradoria Geral do Trabalho (PGT) a respeito de conflitos que ocorrem entre as diferentes gerações no ambiente de trabalho. Para tanto, foi realizado um estudo de caso no Departamento de Administração da referida organização. A pesquisa foi de abordagem qualitativa e os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas com 30 indivíduos, entre servidores e terceirizados de diferentes gerações. Os resultados encontrados indicam que, em termos gerais, as três gerações presentes na organização - Baby Bommers, geração X e geração Y, possuem bom relacionamento no local de trabalho, contudo, foi identificada a ocorrência de conflitos, com destaque entre as gerações X e Y. Os conflitos identificados foram classificados como de relacionamento e de processo; e como funcionais, em relação às consequências. Os fatores pessoais são os mais frequentes geradores de conflitos entre as gerações. Ao final do artigo, são apresentadas possíveis explicações para os resultados, bem como sugestões de pesquisa para estudos futuros a respeito do tema.

 

 


Palavras-chave


Conflitos de Gerações; Ambiente de Trabalho; Setor Público

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, S. I. de et al. Conflito de gerações no ambiente de trabalho em empresa pública. In: SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, 9, 2012, Rio de Janeiro: Resende. IX SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, Resende – RJ, p. 1-11, 2012.

APRIGIO, B. T. Gerações no mercado de trabalho: Geração Y. Revista de Administração do UNISAL, Campinas, v. 3, n. 3, p. 19- 28, 2013.

BRASIL. IBGE, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2016.

CONGER, J. Quem é a geração X? HSM Management, v. 11, p. 128-138, 1998.

CORDEIRO, H.T.D. et al. A questão das gerações no campo da gestão de pessoas: tema emergente? Revista de Carreiras e Pessoas, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 2-18, 2013.

COSTA, L. F. L. G. et al. Conflitos Organizacionais entre gerações: Um estudo empírico com a equipe de desenvolvimento de software do IFRN. HOLOS, v. 4, p. 361-374, 2014.

ERICKSON, T. The Four Biggest Reasons for Generational Conflict in Teams. Harvard Business Review: Generational Issues, fev. 2009.

HITT; MILLER; COLELLA. Administração Estratégica. Tradução da 7º edição norte americana. 2ª ed. Cengage Learning. Cap. 9, p. 187-266, 2007.

LOMBARDIA, P. G. Quem é a geração Y? HSM Management, n. 70, p. 1-7, 2008.

LOMBARDIA, P.G.; STEIN, G.; PIN, J.R. Politicas para dirigir a los nuevos profesionales – motivaciones y valores de la generacion Y. Madrid: Universidad de Navarra, 2008.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. Curso de Ambientação. Brasília: 2014.

NEWSTROM, John W. Comportamento Organizacional: o comportamento humano no trabalho; Tradução de Ivan Pedro Ferreira Santos. São Paulo: McGraw-Hill, 2008.

OLIVEIRA, S. Como lidar com o conflito entre gerações? Integra da entrevista com Sidnei Oliveira. Jovem Pan, 21 set. 2012. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=zT_ubzFwDe8>. Acesso em: 30 abr. 2016.

OLIVEIRA, S. Geração Y: era das conexões, tempo de relacionamentos. São Paulo: Clube de Autores, 2008.

OLIVEIRA, S. Jovens Para Sempre: Como entender os Conflitos de Gerações. São Paulo: Integrare, 2012.

OLIVEIRA, S. Minissérie “Gerações no Ambiente de Trabalho”. Capítulo 3: Relações de liderança: integração e conflitos entre gerações, 21 mar. 2013. Escola de Governo e Administração Pública. São Paulo: UCRH. Entrevista concedida a Secretaria de Gestão Pública de SP. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=Pnx0krxI5hE>. Acesso em: 30 abr. 2016.

PRATES, A. Gerações baby-boomer, X, Y e Z: Adriana Prates fala do conflito de gerações nas empresas. Integra da entrevista com Adriana Prates, 18 fev. 2010. Canal de Mesa de Negócios. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2016.

ROBBINS, Stephen P. Comportamento Organizacional. 11ª ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

SANTOS, I. C. DOS et al. Percepções sobre conflitos entre gerações no ambiente de trabalho: uma breve análise sobre os Baby bommers e gerações subsequentes. Revista Científica Hermes, n. 11, p. 26-46, 2014.

SMOLA, K.; SUTTON, C. Generational Differences: Revisiting Generational Work Values for the New Millennium, Journal of Organizational Behaviour, n. 23, p. 363-382, 2002.

VECCHIO, R. P. Comportamento organizacional: conceitos básicos. Tradução de Roberto Galman. 6ª ed. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

WELLER, W. A atualidade do conceito de gerações de Karl Mannheim. Revista Sociedade e Estado, Brasília, vol. 25, n.2, p. 205-224, mai./ago., 2010.




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2018.v11i2.531

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Foco

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.