A avaliação de resultados em Comunicação Interna: desafios e modelos de avaliação aplicáveis

Natália Contesini Santos

Resumo


O processo de Comunicação Interna apresenta benefícios inúmeros para as empresas que o praticam. Além de ser o meio oficial pelo qual a empresa e seu público interno se comunicam, este processo está diretamente ligado ao alcance efetivo dos objetivos organizacionais. Porém muitas vezes o impacto das ações de Comunicação Interna na estrutura organizacional é questionado devido à falta de uma sistemática válida e factual para avaliação de seus resultados. Este estudo tem como objetivo identificar modelos para avaliação de Comunicação Interna, a partir da discussão sobre a dificuldade de avaliar seus resultados. Com base em extensa leitura sobre o assunto, são sugeridos três modelos para avaliação, possíveis de serem aplicadas em diversas organizações, de acordo com o contexto, objetivo, natureza e porte organizacional.

 

The process of Internal Communication provides countless benefits to organizations. Besides being the official communication medium between the company and its internal publics, this process is directly related to the effective reach of organizational goals. However, the impact of Internal Communication initiatives on the organizational structure is often questioned due to the lack of a valid and factual system for evaluating its results. This study aims to identify evaluation models for Internal Communication initiatives, from the discussion about the difficulty for assessing its results. Based on extensive search, three models are suggested for evaluation process, which can be applied in different organizations according to the context, objective, branch and size.


Palavras-chave


Comunicação Interna; Avaliação; Modelos de Avaliação

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, A.E.. Planejamento de Relações Públicas. Porto Alegre: Sulina, 2002

ASSIS, C. G.. Avaliação e mensuração de resultados em comunicação interna: o caso da organização Jaime Câmara. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Faculdade de Informação e Comunicação, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2008

BUENO, W. C.. Comunicação interna e liderança aberta: os desafios de incorporar a geração Y e as mídias sociais. Revista Organicom: Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas, v.10, n.19, p.60-71, mar. 2014

CHIAVENATO, I.. Administração: Teoria, Processo e Prática. São Paulo: Makron, 2014

CUTLIP, S.. Effective Public Relations. Englewood Cliffs: Prentice Hall, 1999

DOMENEGHETTI, D.. Novos rumos para as organizações. Revista Comunicação 360º, p.7-8, 2006

ESTRELLA, C.; BENEVIDES, R.; FREITAS, R. Por dentro da comunicação interna: tendências, reflexões e ferramentas. Curitiba: Editora Champagnat, 2009

GALERANI, G. S. M.. Enfim, o merecido valor à subjetividade. Revista Comunicação 360º, p.10-12, 2006

_______. O desafio da avaliação de resultado em comunicação organizacional. Revista Organicom: Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas, a.2, v.2, p. 146-65, 2005

GARCIA, T. M.. A avaliação das ações de comunicação nos resultados organizacionais: A indicação da Volvo como a melhor empresa para se trabalhar no Brasil. Anais do XXXII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, set. 2009

GONÇALVES, A. F.. Desenvolvimento de uma escala de mensuração e análise estratégica da comunicação interna orientada para o alinhamento organizacional. Anais do 1º Congresso Brasileiro Científico de Comunicação Organizacional e de Relações Públicas, p.1-15, 2007

HON, L. C.; GRUNIG, J. E. Guidelines for measuring relationships in public relations. A report the Comission on Public Relations measurement and evaluation. Gainesville: Institute for Public Relations, 2005

KUNSCH, M. M. K.. A função das Relações Públicas e a prática comunicacional nas organizações. Revista Organicom: Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas, v.1, n.1, p.120-139, fev. 2011

______. Planejamento das Relações Públicas na Comunicação Integrada. São Paulo: Summus, 2003

LIMA, L.. Esquentando os resultados. Revista Comunicação 360º, p.21-33, 2006

LINDENMANN, W.K. An effectiveness yardstick to measure public relations success. Public Relatiosn Quarterly, v.38, n.1, 1993

_______. Guidelines and Standards for Measuring the Effectiveness of Public Relations Programs and Activities. The Institute of PR Measurement and Evaluation, 2003

LOPES, V. S. C.. A comunicação interna sob novos olhares. Revista Organicom: Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas, v.7, n.12, p.198-201, mar.2012

LUDWIG, L. M.. Avaliação de Resultados: O desafio das agências de comunicação. Revista Organicom: Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas, a.2, n.2, p.167-181, 2005

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Editora Vozes, 2009

PATRIZZI, C. A.; TONON, J. B.; DA SILVA, M. C.. A função de Controle e Avaliação de Resultados em Relações Públicas. Revista de Ciência e Comunicação da Universidade Estadual de Londrina, out. 2002

ROCCO JÚNIOR, A. J.. A comunicação interna e a construção da cultura organizacional em equipes esportivas vencedoras: o caso do FC Barcelona. Revista Organicom: Revista Brasileira de Comunicação Organizacional e Relações Públicas, v.10, n.19, p.96-107, mar. 2014

TESSI, M.. Comunicación interna en la práctica: siete premisas para la comunicación en el trabajo. Buenos Aires: Granica, 2012




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2018.v11i1.509

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Foco

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.