FATORES DETERMINANTES NA MOTIVAÇÃO DOS COLABORADORES DE UMA EMPRESA FAMILIAR LOCALIZADA NO MUNICÍPIO DE URUSSANGA-SC

Deisiane Vicente dos Santos Cataneo, Débora Volpato, Adriana Carvalho Pinto Vieira, Júlio César Zilli

Resumo


Administrar uma organização envolve vários fatores, dentre eles coordenar e gerir pessoas, considerado o fator mais complexo devido a suas individualidades. Uma vez que o sucesso de uma organização depende do esforço empregado por seus colaboradores em atingir seus objetivos, é importante cultivar o grau motivacional de cada colaborador. A motivação é o que impulsiona a força de ação de cada indivíduo, medindo a satisfação ou insatisfação relacionada ao ambiente de trabalho. O presente estudo objetiva identificar os fatores que determinam a motivação dos colaboradores de uma empresa familiar do município de Urussanga - SC. A pesquisa se caracterizou como descritiva e quanto aos meios de investigação como pesquisa bibliográfica e estudo de caso. A coleta de dados foi realizada por meio de uma entrevista gravada e posteriormente transcrita para diagnosticar como é trabalhado o grau motivacional e as expectativas por parte dos seus colaboradores, sendo de caráter qualitativo com perguntas abertas. Ao identificar a percepção em relação aos fatores motivacionais dos colaboradores, foi realizada uma comparação de opiniões segundo a percepção dos colaboradores e gerente da organização. Alguns dos fatores motivacionais identificados foram o reconhecimento profissional, salários e incentivos. Em contra partida, a desmotivação ficou evidente pelo tratamento do proprietário para com os seus subordinados.  Por ser uma pequena empresa familiar com recursos limitados, percebe-se que nenhum investimento ou ações motivacionais são empregados no ambiente de trabalho. Assim, a partir dos resultados obtidos, foram sugeridas propostas para que os colaboradores se sintam motivados em desempenhar suas funções na organização.

 

Manage an organization involves several factors, including coordinating and managing people, considered the most complex factor due to their individuality. Since the success of an organization depends on the effort made by its employees to achieve its goals, it is important to cultivate the motivational level of each employee. Motivation is what drives the action of each individual force measuring satisfaction or dissatisfaction related to the work environment. This study aims to identify the factors that determine the motivation of the employees of a family business in the city of Urussanga - SC. The research was characterized as descriptive and as the means of investigation as literature and case study. Data collection was performed by means of a recorded and later transcribed interview to diagnose how worked the motivational level and expectations from their employees, and qualitative character with open questions. By identifying the perception of the motivational factors of employees, a comparison of opinions according to the perceptions of employees and organization manager was held. Some of the identified motivational factors were professional recognition, salaries and incentives. By contrast, the motivation was evident by the owner treatment towards his subordinates. As a small family business with limited resources, it is clear that no investment or motivational actions are employed in the workplace. Thus, from the results, proposals have been suggested so that employees will be motivated to perform its functions in the company.


Palavras-chave


Motivação; Gestão de Pessoas; Organização

Texto completo:

PDF

Referências


BATEMAN, Thomas S.; SNELL, Scott. Administração: novo cenário competitivo. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2006. 673p.

BERGAMINI, Cecília Whitaker. Motivação nas organizações. 4 ed. São Paulo: Atlas, 1997. 214 p.

BROXADO, Sílvio. A verdadeira motivação na empresa. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001. 100 p.

CARVELL, Fred J. Relações humanas nos negócios. Rio de Janeiro: J. Zahar, 1982. 397 p.

DEEPROSE, Donna. Como valorizar e recompensar seus funcionários. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1995. VIII 121 p.

DESSLER, Gary. Administração de recursos humanos. 2.ed São Paulo: Prentice Hall, 2003. 331 p.

FARACO, Adroaldo. Administração de recursos humanos completa e atualizada: o conceito de APH. Criciúma, SC: ED. Do Autor, 2007. 247 p.

GIL, Antônio Carlos. Gestão de pessoas: enfoque nos papéis profissionais. São Paulo: Atlas, 2001. 307 p.

GOMES, Elaine Dias; MICHEL, Murilo. A motivação de pessoas nas organizações e suas aplicações para obtenção de resultados. In: Revista científica eletrônica de administração. dez. de 2007. Disponível em:

. Acesso em: 10 de out. 2015.

HOWARD, Robert. Aprendizado organizacional: gestão de pessoas para a inovação contínua. Rio de Janeiro: Campus, 2000. 322 p.

LACOMBE, Francisco José Masset. Recursos humanos: princípios e tendências. 2. ed São Paulo: Saraiva, 2012. 515 p.

LUCAS, Lorena da Silva; DAL’COL, Simoni Casagrande. Os fatores motivacionais que podem influenciar no desempenho dos funcionários da empresa x. In: Revista científica Semana Acadêmica. julh. de 2013. Disponível em:

< http://semanaacademica.org.br/artigo/os-fatores-motivacionais-que-podem-influenciar-no-desempenho-dos-funcionarios-da-empresa-x >. Acesso em: 10 de julh. 2016.

LUZ, Ricardo. Gestão do clima organizacional. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003. 143 p.

MARRAS, Jean Pierre. Administração de recursos humanos: do operacional ao estratégico. 15.ed, ver.atual. e ampl. São Paulo: Saraiva, 2016. 336 p.

MAXIMIANO, Antônio César Amaru. Teoria geral da administração: da revolução urbana à revolução digital. 6. ed. rev. e atual São Paulo: Atlas, 2007. 491 p.

____________, Antônio César Amaru. Introdução a administração. 8 ed. Ver. E ampl. São Paulo: Atlas, 2011, 419 p.

OLIVEIRA, Silvio Luiz de. Tratado de metodologia científica: projetos de pesquisa, TGI, TCC, monografias, dissertações e teses. São Paulo: Pioneira, 1999. 320p.

PINHEIRO, José Maurício dos Santos. Da iniciação científica ao TCC: uma abordagem para os cursos de tecnologia. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda, 2010. 161 p.

PONTES, B. R. Administração de cargos e salários. 9. Ed. São Paulo: LTR, 2002. 221p.

PURI, Subhash C. . Cestão da estabilidade: a arte de manter, motivar e criar desafios para colaboradores. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2000. 234 p.

RIZZATTI, Gerson; JUNIOR, Gerson Rizzati. Categorias para Análise do Clima Organizacional em Universidades. V Coloquio Internacional sobre Gestión Universitaria em América del Sul. Mar del Plata dez. 2015. Disponível em: . Acesso em : 10 de junh. 2016.

ROBBINS, Stephen P. Comportamento organizacional. 9.ed São Paulo: Prentice Hall, 2002. 637p.

VERGARA, Sylvis Constant. Gestão de pessoas. São Paulo: Atlas, 1999. 171 p.




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2017.v10i2.341

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.