DISCUTINDO RELAÇÕES DE GÊNERO ENTRE DISCENTES E DOCENTES A PARTIR DAS COLABORAÇÕES DE SIMONE DE BEAUVOIR E PIERRE BOURDIEU

Cristiano das Neves Bodart, Cláudia Paes Borba, Andreia de Almeida Fernandes, Kamille Ramos Torres, Shenia Frigulha

Resumo


Busca-se por meio deste artigo discutir as relações de gênero no Ensino Superior, mas especificamente entre discentes e docentes. Para tanto, foi realizada uma pesquisa com docentes de uma instituição superior privada localizada na Região Metropolitana da Grande Vitória-ES, sendo a estes aplicados questionários fechados. Objetiva-se, a partir das colaborações teóricas de Bourdieu e Beauvoir, discutir a percepção dos docentes dos sexos masculinos e femininos quanto às relações entre professor-aluno.  Identificou-se que mesmo que o Ensino Superior, campo investigado pela pesquisa, caracterize-se como “menos masculino”, a coleta de campo evidenciou que existem momentos em que a desigualdade entre gênero torna-se mais evidente.

 

This article seeks to discuss gender relations in Higher Education, but specifically between students and teachers. For this, a survey was conducted with teachers from a private higher education institution located in the Greater Vitória Metropolitan Region-ES, to whom were given closed questionnaires.The objective was to discuss the perceptions of male and female teachers regarding professor-student relationships, from the point of view of the theoretical collaborations of Bourdieu and Beauvoir. It was seen that even though Higher Education, the field investigated by this research, is characterized as "less masculine,” the field collection found evidence that there are moments in which the inequality between genders becomes more evident.


Palavras-chave


Gênero; Docência; Dominação; Bourdieu; Beauvoir

Texto completo:

PDF

Referências


BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Tradução Maria Helena Kühner. 9º edição. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010 [1990].

_________________. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo cientifico. Tradução: Denice Barbara Catani. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

________________. Pierre Bourdieu avec Löic Wacquant: réponses. Paris: Seuil, 1992.

________________. O poder simbólico. Tradução Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

_________________. Esboço de uma teoria prática. Tradução das partes: "Les trois modes de connaissance" e "Structures, habitus et pratiques", por Paula Montero. In: Esquisse d'une théorie de Ia pratique. Geneve, Lib. Droz, p. 162-89, 1972.

BEAUVOIR, Simone de. A força das coisas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 2009 [1963].

_________________. O segundo sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 2 v. 1980 [1949].

BURAWOY, Michael. As antinomias do feminino: Beauvoir encontra Bourdieu. In: ___________. O Marxismo encontra Bourdieu. Organizador: Ruy Gomes Braga Neto; tradução, referencias e notas de Fernando Rogério Jardim. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2010.

FEMENÍAS, María Luisa. A Critica de Judith Butler a Simone de Beauvoir. Sapere Aude. Belo Horizonte, v.3, n.6, p.310-339, 2012. Disponível em: < http://periodicos.pucminas.br/index.php/SapereAude/article/view/4619>. Acesso em: 20 de agos. 2016.

INEP. Trajetória da Mulher na Educação Superior Brasileira: período de 1991 a 2004. Brasília: MEC; Governo Federal do Brasil, 2007.

TRIGO, Maria Helena Bueno. Habitus, Campo, Estratégia: uma leitura de Bourdieu. Cadernos Ceru, 1998. Disponível em: < http://www.revistas.usp.br/ceru/article/view/74986 > Acesso em: 22 de junho de 2016.

SETTON, Maria da Graça Jacintho. A teoria do habitus em Pierre Bordieu: uma leitura contemporânea. São Paulo: Revista Brasileira de Educação, 2002. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n20/n20a05> Acesso em: 22 de junho de 2016.

SIMONS, M. “Introduction”. In: ____________. (ed.). Feminist interpretations of Simone de Beauvoir. Pennsylvania: The Pennsylvania State University Press, 1995.

WACQUANT, Loic. Esclarecer o Habitus. São Paulo: Educação & Linguagem, 2007. Disponível em: < https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/EL/article/view/126/136> Acesso em: 22 de junho de 2016.




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2017.v10i1.337

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.