ALIANÇA, RECIPROCIDADE E COOPERAÇÃO ESTRATÉGICA: análise da rede virtual Linkedin®

Rafaella Cristina Campos, Rodrigo Cassimiro Freitas, João Paulo Cardoso Silva, Mônica Carvalho Alves Cappelle

Resumo


Objetiva-se neste artigo identificar a presença ou não de mecanismos que possibilitem a estruturação de alianças estratégicas, cooperação e reciprocidade entre empresas e profissionais atuantes na rede social virtual LinkedIn®. Através da natureza qualitativa de análise de dados que prevê análise do conteúdo e do layout da página da rede social virtual LinkedIn® verifica-se que tanto para empresas quanto para candidatos a eficácia, eficiência, estrutura e intensidade dos laços e nós estabelecidos estão mais relacionados à interpretação parcial do evento de uma das partes envolvidas do que do seu contexto total e geral que é impalpável. 

 

The main goal of this article is to identify the presence or absense of resouses that alow the structure of strategic alliances, cooperation and reciprocity beetween companies and candidates that are active on the social midia network called LinkedIn®. Through the qualitative nature and data analysis based on the technic contain analysis, the attend is to understand the contain and the layout of LinkedIn®, it´s evident that for the companies and for the candidates the effectiveness, efficiency, and intensity structure of the laces and nodes are not clear, so it is not possible to tell for certain that the strategic moves are effective because it is only possible to understand for complete one side of the formation of the laces and nodes, so the full knowledge is uncertain and provide doubt about the benefits in competition and cooperation in search for a new opportunity on the job market.


Palavras-chave


Redes Sociais Virtuais; Aliança; Cooperação

Texto completo:

PDF

Referências


AHUJA, G.; SODA, G.; ZAHEER, A. The genesis and dynamics of Organizational Networks. Organization Science. V.23, n.2, pp. 434-448, march/april 2012.

BARBOSA, F.V. Competitividade: Conceitos Gerais. IN: RODRIGUES, S.B. Competitividade, Alianças Estratégicas e Gerência Internacional. São Paulo: Atlas, 1999.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979. 225 p.

BARNEY, J.B.; HESTERLY, W. Economia das Organizações: Entendendo a Relação Entre as Organizações e a Análise Econômica. IN: CLEGG R.; HARDY,C. ;NORD, W.R. (Ed.) Handbook de Estudos Organizacionais. Vol.3. São Paulo. Atlas, 2004. p.131:185.

BENGTSSON, Maria. KOCK, Soren. Cooperation and Competition in Relationships Between Competitors in Business Network. Journal of Business and Industrial Marketing. Vol. 14, nº3, 1999. p.178:193.

BRITTO, Jorge. Cooperação Interindustrial e Redes de Empresas. IN: KUPFER,D; HASENCLEVER,L. (Org.) Economia Industrial: Fundamentos Teóricos e Práticas no Brasil. Rio de Janeiro: Campus. 2002.

CARVALHO, F.A.; MARQUES, M.C.P.; CARVALHO, J.L.F. Redes interorganizacionais, poder e dependência no futebol brasileiro. O&S, Salvador, v.16, n.48, Jan./Mar., 2009.

CASTRO, Marcos de; BULGACOV, Sergio; HOFFMANN, Valmir Emil. Relacionamentos Interorganizacionais e Resultados: Estudo em uma Rede de Cooperação Horizontal da Região Central do Paraná. RAC, Curitiba, v. 15, n. 1, art. 2, pp. 25-46, Jan./Fev. 2011.

GRANDORI, A.; SODA, G. Inter-firm networks: antecedents, mechanisms and forms. Organization studies. V.16, n.2, pp.1-19, 1995.

HATCH, M.J. Organization Theory: Modern, Symbolic and Postmodern Perspectives. Oxford: Oxford University Press, 1997. p.63:100.

LACOSTE, Sylvie. Vertical Competition: The Key Account Perspective. Industrial Marketing Management. Vol.41 2012. p.649:658.

LEMIEUX, Vincent; OUIMET, Mathieu. Análise Estrutural das Redes. Instituto Piaget. Lisboa. 2008.

LEMOS,Ana Heloísa da Costa; FREITAS DE SÀ, Patrícia. Expectativas de Carreira na Contemporaneidade: O que Querem os Jovens Profissionais? Anais XXXVI Encontro da ANPAD, ENANPAD, Rio de Janeiro, 22 a 26 de setembro, 2012.

MA, Hao. Toward Global Competitive Advantage: Creation, Competition, Cooperation and Co-Option. Management Decision. Vol.42. nº7. 2004. p.904:924.

MINAYO,M.C.S. Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade.14ª Edição. São Paulo: Ed.Vozes, 2000.

MIZRUCHI, M.S.; Análise de redes sociais: avanços recentes e controvérsias atuais. RAE, v. 46, n.3, p.72-86.

PERROW, C. Small-firm networks. In: NOHRIA, N.; ECCLES, R. G. Networks and organizations: structure, form, and action. Boston: Harvard Business School Press, 1992.

POTTER, Michael E. A Vantagem Competitiva das Nações. IN: POTTER, Michael E. Competição: Estratégias Competitivas Essenciais. Rio de Janeiro: Campus, 1999 p.167:208.

POTTER, Michael E. Como as Forças Competitivas Moldam a Estratégia. IN: MONTGOMERY,C.A.;POTTER, Michael E. Estratégia: A Busca da Vantagem Competitiva. Rio de Janeiro: Campus, 1998. p.11:27.

POWELL, W. W. Neither market nor hierarchy: network forms of organization. Research in Organizational Behavior. V.12, pp.295-336, 1990.

SIMMEL, G. Questões fundamentais da sociologia: indivíduo e sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, c2006. 118 p.

TURATO,E.R. Tratado de Metodologia da Pesquisa Clínico Qualitativa: Construção Teórico Epistemológica, Discussão Comparada e Aplicação nas Áreas de Saúde e Humanas.Petrópolis,RJ. Vozes,2003. 685p.




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2016.v9i2.304

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.