BEM ESTAR NO TRABALHO: um estudo com trabalhadores de uma rede cooperativista de trabalho médico

Fernanda Nogueira Coelho, Andressa Hennig Silva, Martiele Gonçalves Moreira

Resumo


Devido ao tempo de permanência diário dos indivíduos no ambiente de trabalho, torna-se relevante buscar a felicidade, bem-estar e qualidade de vida neste ambiente, marcado por pressões empresariais, cumprimento de metas e exigências do mercado. Sendo assim, esta pesquisa pretendeu identificar a percepção do bem-estar no trabalho na ótica dos profissionais da Unidade Médica Beta, e ainda traçar o perfil sócio-demográfico dos respondentes. Este estudo configura-se como de abordagem quantitativa e caráter descritivo. Utilizando-se de uma survey, executada no local da pesquisa, onde se buscou identificar o estado de bem-estar dos colaboradores da Unidade Médica Beta. O método para a coleta de dados foi através de um questionário composto por 2 blocos: i) bem-estar no trabalho e ii) perfil sócio demográfico. A população alvo desta pesquisa foram os colaboradores da empresa, dos quais, 65 participaram da pesquisa configurando-se a amostra do estudo. Adotaram-se técnicas estatísticas que foram estabelecidas a partir da formação adequada do instrumento. Utilizaram-se análises estatísticas através do uso do software SPSS versão 20.0, incluindo as seguintes técnicas: Estatística Descritiva e Alpha de Cronbach. Os colaboradores da Unidade Médica Beta se encontram satisfeitos e comprometidos com o seu trabalho, o qual envolve fatores como o grau de felicidade entre os colegas de trabalho e as emoções relativas ao relacionamento com a empresa (SIQUEIRA, 2008). Já, no que diz respeito ao envolvimento do colaborador, observa-se que estes não estão altamente envolvidos, o que tem relação com o grau de identificação com as tarefas executadas.

 

Because of the time of daily stay of individuals in the workplace, it is crucial to pursue happiness, well-being and quality of life in this environment, marked by business pressures, meeting goals and requirements in general. Thus, this research aimed to identify the perception of well-being at work from the viewpoint of professionals Medical Unit Beta, and even trace the socio-demographic profile of respondents. This study appears as a quantitative and descriptive approach. Using a survey, performed at the research site, where it sought to identify the health status of the Medical Unit Beta employees. The method for data collection was through a questionnaire consisting of two parts: i) well-being at work and ii) socio-demographic profile. The target population of this research were company employees, of which 65 participated in the survey setting up the study sample. They were adopted statistical techniques that were established from the proper instrument training. They used statistical analysis by using SPSS version 20.0 software, including the following techniques: descriptive statistics and Cronbach's Alpha. The employees of Medical Unit Beta are satisfied and committed to their work, which involves factors such as the degree of happiness among colleagues and emotions concerning the relationship with the company (SIQUEIRA, 2008). Already, with regard to the involvement of employees, it is observed that these are not highly involved, which is related to the degree of identification with the tasks performed.

 

 


Palavras-chave


Bem- estar no trabalho; Saúde no trabalho; Comportamento Organizacional

Texto completo:

PDF

Referências


ARGYRIS, Chris. Personalidade e organização. Rio de Janeiro: Renes, 1969.

BASTOS, A. V. B.; BRANDÃO, M. G. A.; PINHO, A. P. M. Comprometimento organizacional: explorando este conceito entre servidores de instituições universitárias. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 20, 1996, Angra dos Reis. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, v. 9. p. 289-310, 1996.

BASTOS, Antonio Virgílio B. ;COSTA, Fabíola M. Múltiplos comprometimentos no trabalho: articulando diferentes estratégias de pesquisa. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, v. 1, n. 1, p.11-41, 2001.

BERGAMINI, Cecilia. W. Psicologia aplicada a administração de empresas. 3 ed. São Paulo: Atlas, 1982.

BRIEF, A. P.; WEISS, H. M. Organizational behavior: affect in the workplace. Annual Review of Psychology, v.53, p. 279-307, 2002.

BROWN, Steven P. A. Meta-analysis and review of organizational research on job involvement. Psychological Bulletin, v. 120, n. 2, p. 235-255, Sept, 1996.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino; SILVA, Roberto da. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Pearson Pretince Hall, 2010.

CORTINA, J. M. What is coefficient alpha? An examination of theory and applications. Journal of Applied Psychology, v. 78, p. 98-104, 1993.

CSIKSZENTMIHALYI, M. A. A descoberta do fluxo: a psicologia do envolvimento com a vida cotidiana. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

DANNA, Karen; GRIFFIN, Ricky W. Health and well-being in the workplace: a review and synthesis of the literature .Journal of Management, v. 25, n. 3, p. 357-384, June,1999.

DIENER, E. Suh E. M.; LUCAS, R. E. ; SMITH, H. L. Subjective well-being: three decades of progress. Psychological Bulletin, v. 125, n. 2, p. 276-302, 1999.

GRANT, A. M.; CHRISTIANSON, M. K.; PRICE, R. H. Happiness, health, or relationships? Managerial practices and employee well-being tradeoffs. Academy of Management Perspectives, v. 21, n. 3, p. 51-63, 2007.

FIELD, A. Descobrindo a estatística usando SPSS. Tradução LoríViali. 2. ed.- Porto Alegre: Artmed, 2009.

FINK, A. The survey handbook. Thousand Oaks: Sage.The Survey Kit, v.1, 1995.

FREDRICKSON, Barbara L. What good are positive emotions?. Review of general psychology, v. 2, n. 3, p. 300, 1998.

FREIRE, J.R. S. Comprometimento e satisfação no trabalho. São Paulo: USP, 1998.

HARTER, J.; SCHMIDT, F.; KEYES, C. Well-being in the workplace and its relationship to business outcomes, a review of the gallup studies. In: KEYS, C.; HAIDT J. Flourishing: the positive person and the good life. Washington D.C.:American Psychology Association, p. 205-224, 2003.

HOMRICH, Augusto Meira. Bem-estar no trabalho: um estudo sobre o impacto de ações de qualidade de vida. 2014. 59f. Monografia (Especialização em Gestão de Pessoas no Serviço Público)- Escola Nacional de Administração Pública- ENAP- Brasília, Brasília, 2014.

IBGE. Mulher no Mercado de Trabalho: Perguntas e Respostas. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/trabalhoerendimento/pme_nova/Mulher_Mercado_Trabalho_Perg_Resp_2012.pdf Acesso em: 20 de Novembro de 2015.

KANUNGO, Rabindra N. Measurement of job and work involvement. Journal of applied psychology, v. 67, n. 3, p. 341, 1982.

LAWLER, Edward E.; HALL, Douglas T. Relationship of job characteristics to job involvement, satisfaction, and intrinsic motivation. Journal of Applied Psychology, v. 54, n. 4, p. 305-312, August, 1970.

LAUER, C. Alta rotatividade nas empresas: como reter talentos. Disponível em:

http://groups.google.com.br/group/rha3/browse_thread/thread/1884564bfedad9d4. Acesso em: 25.05.2016

MÄKIKANGAS, A. ; KINNUNEM, U. Psychosocial work stressors and well-being: self-esteem and optimism as moderators in a one-year longitudinal. Personality and Individual Differences. v. 35, p.537–557, 2003.

PASCHOAL, T.; TAMAYO A. Construção e validação da Escala de Bem-estar no Trabalho. Avaliação Psicológica, São Paulo, v. 7, p. 11-22, 2008.

PASQUALI, L. Psicometria. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 43(Esp.), 992-999, 2009.

PAZ, M. G. T. Poder e saúde organizacional. In: TAMOYO, A. (Org.), Cultura e saúde nas organizações. Porto Alegre: Artmed, p. 127-154, 2004.

REIS, E.Estatística descritiva. Lisboa: Edições Sílabo, 1996.

ROSENSTOCK, Karelline Izaltemberg Vasconcelos. Satisfação, envolvimento e comprometimento com o trabalho: percepção dos profissionais na estratégia saúde da família. 2011. 108f. Dissertação (Pós- Graduação em Enfermagem)-Universidade Federal da Paraíba- UFPB- João Pessoa, João Pessoa, 2011.

ROTHBARD, N. P.; PHILLIPS, K. W.; DUMAS, T.L. Managing multiple roles: Work-family policies and individuals’ desires for segmentation. Journal Organization Science, v. 16, n. 3, p. 243-258, 2005.

SIQUEIRA, Mirlene Maria Matias. Medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Artmed Editora, 2009.

SIQUEIRA, Mirlene MM; GOMIDE JR, Sinésio. Vínculos do indivíduo com o trabalho e com a organização. Psicologia, organizações e trabalho no Brasil, p. 300-330, 2004.

SIQUEIRA, M.M.M; PADOVAM, V.A.R. Bases teóricas de bem-estar subjetivo, bem-estar psicológico e bem-estar no trabalho. Universidade Metodista de São Paulo, 2004.

SIQUEIRA, Mirlene Maria Matias; PADOVAM, Valquiria Aparecida Rossi. Bases teóricas de bem-estar subjetivo, bem-estar psicológico e bem-estar no trabalho. Psicologia: teoria e pesquisa, v. 24, n. 2, p. 201-209, 2008.

TAMAYO, A. Introdução. In: TAMAYO, A. (Ed.). Cultura e saúde nas organizações. Porto Alegre: Artmed, 2004.

WARR, Peter; INCEOGLU, Ilke. Job engagement, job satisfaction, and contrasting associations with person–job fit. Journal of Occupational Health Psychology, v. 17, n. 2, 2012.




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2017.v10i1.288

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.