POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS: importância nas relações de trabalho

Cristina Magiroski, Fernanda Reigota, Josimari de Brito Morigi, Adalberto Dias de Souza

Resumo


Na era industrial, o capital financeiro foi o recurso estratégico utilizado pelas empresas, enquanto que no novo cenário a estratégia é o uso da informação, do conhecimento e da criatividade, sendo considerado o capital mais importante das organizações. Nesse contexto, o presente estudo objetiva abordar informações inerentes à importância das políticas de recursos humanos para o sucesso organizacional. Para alcançar o objetivo proposto, utilizou-se a pesquisa bibliográfica em base dados científicas, tendo sido selecionados para composição da fundamentação teórica, diversos trabalhos publicados recentemente. As pessoas sendo tratadas como recursos da organização, precisam ser administradas de modo eficiente. Devido ao fato das organizações se tornarem competitiva, convém às empresas readequarem-se, tanto no conjunto de políticas quanto no que diz respeito aos das práticas, conciliando as expectativas do pessoal e da própria organização. Ultimamente as empresas buscam por profissionais criativos, que são capazes de encontrar soluções nas mais diversas situações, fazendo com que a empresa alcance seus objetivos almejados. 

 

In the industrial age, financial capital was the strategic resource used by companies, while in the new scenario the strategy is the use of information, knowledge and creativity, being considered the most important capital of organizations. In this context, this study aims to address information related to the importance of human resource policies to organizational success. To achieve the proposed objective, we used the literature-based scientific data, having been selected for the composition of theoretical basis, several recently published works. People being treated as organizational resources need to be managed efficiently. Because organizations become competitive, it is necessary for companies to reshaping-in both the set of policies and in regard to the practices, reconciling the expectations of staff and the organization. Lately companies look for creative professionals, who are able to find solutions in different situations, making the company achieve its desired objectives.

 

 


Palavras-chave


Gestão de Pessoas; Políticas de Recursos Humanos; Relações de trabalho

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTI, R. L; SIQUEIRA, H.S.G. Autonomia do Estado no processo de globalização. Revista do centro de ciências da economia e informática. Bagé- RS, Vol. 08, Nº 13, março. 2014.

ALMEIDA, Martinho Isnard Ribeiro. TEIXEIRA, Maria Luiza Mendes. MARTINELLI, Dante Pinheiro. Porque administrar estrategicamente recursos humanos. In: Revista de Administração de Empresas. Vol. 33. n. 2. São Paulo, Março/Abril de 1993.

BEUREN, Ilse Maria. Como Elaborar Trabalhos Monográficos. São Paulo: Atlas, 2004.

BILHIM, João Abreu de Faria. Questões atuais de gestão de recursos humanos. Disponível em: www.spi.pt/foral/modulo3/capituloi.doc>. Acesso em 07 de julho de 2014.

CARVALHO, Antonio Vieira de. NASCIMENTO, Luiz Paulo do. Administração de recursos humanos. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1997.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. 6. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

______. Recursos Humanos: o capital humano das organizações. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

______. Administração de recursos humanos: fundamentos básicos. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2003.

______. Gerenciando Pessoas: o passo decisivo para a administração participativa. São Paulo: Makron Books, 1994.

ÉSTHER, Angelo Brigato. Relações de trabalho: conceitos, instâncias e condicionantes. Disponível em: http://www.ufjf.br/facc/files/2011/03/UNID-3-RH-I-2010-Rela%C3%A7%C3%B5es-de-poder-e-de-trabalho-Conceitos-inst%C3%A2ncias-e-condicionantes.pdf>. Acesso em 06 de julho de 2014.

EBOLI, Marisa Pereira. A Influência das relações de trabalho sobre o comprometimento organizacional. (Dissertação de Mestrado em Administração). Curitiba, 2002.

FISCHER, Rosa Maria. “Pondo os pingos nos Is” sobre as relações de trabalho e políticas de administração de recursos humanos. Disponível em: xa.yimg.com/kq/groups/21923719/.../Pondo+os+Pingos+nos+Is.doc>. Acesso em 10 de julho de 2014.

FLEURY, Maria Teresa Leme. Cultura e poder nas organizações. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1996.

FLEURY, Maria Teresa Leme. Cultura organizacional e estratégias de mudanças: recolocando estas questões no cenário brasileiro atual. Disponível em: http://www.rausp.usp.br/busca/artigo.asp?num_artigo=503>. Acesso em 09 de julho de 2014.

______. Estórias, mitos, heróis: cultura organizacional e relações do trabalho. Disponível em: http://rae.fgv.br/sites/rae.fgv.br/files/artigos/10.1590_S0034-75901987000400003.pdf>. Acesso em 07 de julho de 2014.

FORTUNA, Antonio Alfredo de Mello. TACHIZAWA, Elio Takeshy. FERREIRA, Victor Cláudio Paradela. Gestão com pessoas. Uma abordagem aplicada às estratégias de negócios. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2001.

GIL, Antonio Carlos. Gestão de pessoas: enfoque nos papéis profissionais. São Paulo: Atlas, 2006.

______. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

HERSEY, Paul. BLANCHARD, Kenneth. Psicologia para administradores: a teoria e as técnicas da liderança situacional. São Paulo: EPU, 1986.

HOMEM, Ivana Dolejal, OLTRAMARI, Andréa Poleto & BESSI, Vânia Gisele. A gestão de pessoas e seus mecanismos de sedução em um processo de produção. RAC, Curitiba, v. 13, n. 2, art. 3, p. 210-227, Abr./Jun. 2009. Disponível em: http://www.anpad.org.br/rac. Acessado em: 11 de abril de 2016.

IANNI, Octávio. Teoria da globalização. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1997.

KWASNICKA, Eunice Lacava. Teoria geral da administração: uma síntese. São Paulo: Atlas, 1991.

LACOMBE, Beatriz Maria Braga; TONELLI, Maria José. O discurso e a prática: o que nos dizem os especialistas e o que nos mostram as práticas das empresas sobre os modelos de gestão de recursos humanos. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rac/v5n2/v5n2a08.pdf>. Acesso em 13 de julho de 2014.

LAKATOS, Eva Maria. MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de Metodologia Científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

LEITE, Nildes Pitombo; ALBUQUERQUE, Lindolfo Galvão de. Gestão de Pessoas: perspectivas estratégicas. São Paulo: Atlas, 2009.

MAGALHÃES, Silvio Reis de Almeida. Considerações sobre o Mercado de Trabalho e suas modificações. Disponível em: http://www.viannajr.edu.br/revista/eco/doc/artigo_00005.pdf>. Acesso em 10 de julho de 2014.

MOTTA, Paulo. Roberto. Transformação organizacional: a teoria e a prática de inovar. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1999.

MOTTA, Fernando C. Prestes; VASCONCELOS, Isabella F. Gouveia de. Teoria Geral da Administração. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

RICHARDSON, R. J.. Pesquisa Social: Métodos e Técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

ROBBINS, Stephen. P. Mudança Organizacional e Administração do Estresse. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

TOLEDO, Flávio de. O que são recursos humanos. 2 ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1983.

ULRICH, Dave. Os campeões de recursos humanos: inovando para obter os melhores resultados. 6. ed. São Paulo: Futura, 1998.




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2017.v10i1.272

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.