GÊNERO E TRABALHO: a opinião masculina sobre a inserção da mulher no setor da construção civil

José Vitor Palhares dos Santos, Ana Flávia Carvalho Cardoso, Lucas Casale do Nascimento, Agatha Cruz de Paula

Resumo


Embora recentemente haja uma participação ativa das mulheres no mercado da construção civil, a ocupação desse espaço ainda é predominantemente masculina. Diante desse contexto, o estudo objetivou analisar a opinião que trabalhadores do sexo masculino da construção civil possuem sobre a inserção das mulheres nesse setor. Para tanto, foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com trabalhadores de diferentes empresas do ramo, situadas na cidade de Lavras (MG). Os dados foram analisados por meio da Análise de Conteúdo e os resultados evidenciaram que, apesar de a maioria dos entrevistados demonstrarem não ter nenhuma dificuldade em trabalhar com mulheres, ainda há discriminação no que diz respeito à capacidade de realização de tarefas consideradas de competência do sexo feminino e masculino na construção civil.

 

Even though there has been an active participation of women in the building construction market more recently, the occupation of this workspace is still predominantly made by men. In this context, the study aimed to assess the opinion that construction male workers have about the insertion of women in this sector. For this purpose, semi-structured interviews were conducted with workers of different companies of that industry, located in the city of Lavras (MG). Data were analyzed using content analysis and the results showed that, although most of them do not seem to have any difficulty in working alongside women, there is still discrimination regarding the ability to perform tasks traditionally considered to be of female and male competence in the sector of building construction.


Palavras-chave


Gênero; Trabalho; Construção Civil

Texto completo:

PDF

Referências


AECWEB. O portal da Arquitetura, Engenharia e Construção. Disponível em: . Acesso em: 03 out. 2013.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2006.

BENEVENTO, Claudia Toffano; SANTANA, Vagner Caminhas. O conceito de gênero e suas representações sociais. Revista Digital Buenos Aires, ano 17, nº 176, Enero, 2013.

BLOEMEM, Hans; KALWIJ, Adriaan. Female Labor Market Transitions and The Timing of Births: A Simultaneous Analysis of The Effects of Schooling. Labour Economics 8, 2001.

BRUSCHINI, Maria Cristina. O trabalho da mulher brasileira nas décadas recentes. Trabalho apresentado ao II Seminário Nacional Políticas Econômicas, Pobreza e Trabalho, IPEA. Publicado pelo IPEA na série Seminários, 7. p. 179, 1994.

BRUSCHINI, Maria Cristina; LOMBARDI, Maria Rosa. Trabalhadoras brasileiras dos anos 90: mais velhas e mais instruídas. Revista Mulher e Trabalho. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2013.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e subversão da identidade. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

CAPPELLE, Mônica Carvalho Alves. O trabalho feminino no policiamento operacional: Subjetividade, Relações de Poder e Gênero na Oitava Região da Polícia Militar de Minas Gerais. 378 p. Tese (Doutorado em Administração). Universidade Federal de Minas Gerais: Belo Horizonte, 2006.

CAPPELLE, Mônica Carvalho Alves; BRITO, Mozar José; MELO, Marlene Catarina Oliveira Lopes; VASCONCELOS Kamila Anderson. A produção científica sobre gênero nas organizações: uma meta-análise. REAd – Edição 57,vol. 13,n.3 set-dez, 2007.

CARLOTO, Cássia Maria. O conceito de gênero e sua importância para a análise das relações sociais. Serviço Social em Revista, Londrina, v. 3, n. 2, p. 201-213, 2001.

CHIZZOTTI, Antônio. Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. São Paulo: Cortez, 1991.

CORRÊA, Lásaro Roberto. Sustentabilidade na construção civil, Belo Horizonte: EdUFMG, 10 p., 2009.

DIÁRIO DOS CAMPOS, Projeto reserva vagas para mulheres. Disponível em . Acesso em: 28 nov. 2013.

GHERARDI, Silvia. The gender we think the gender we do in our everyday organizational lives. In Human Relations, v.47, n.6, 1994.

KIMMEL, Michael. Manhood in America: a cultural history. Second edition. Oxford United Press, New York, 2006.

KON, Anita. A distribuição do trabalho informal no Brasil em uma perspectiva de gênero. Revista Venezolana de Análisis de Coyuntura, Vol. XVIII, n. 1 (ene-jun), pp. 201-229, 2012.

LAVINAS, Lena. Empregabilidade no Brasil: inflexões de gênero e diferenciais femininos, n. 826. Rio de Janeiro: Instituto de pesquisa econômica aplicada, 2001. p. 04-07.

LIMA, Gusttavo César Oliveira. Memórias da gestão: o percurso da identidade administrativa de tropeiros em Minas Gerais. 172p. Dissertação (Mestrado em Administração). Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração da Universidade Federal de Minas Gerais: Belo Horizonte, 2009.

LIPPA, Richard. Subdomains of gender-related occupational interests: Do they form a cohesive bipolar M-F dimension? Journal of Personality 73, 693-730, 2005.

LOBO, Elisabeth Souza. A luta das mulheres. In: Anais do seminário “O Retorno do ator”. França/Brasil. Movimentos Sociais em perspectiva, São Paulo, p 132-139, USP, 1991.

LOMBARDI, Maria Rosa. Engenheiras brasileiras: inserção e limites de gênero no campo profissional. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 127, p. 175-178; 184-185, jan./abr., 2006.

MENEZES, Aline Beckmann; BRITO, Regina Célia Souza; HENRIQUES, Alda Loureiro. Relação entre Gênero e Orientação Sexual a partir da Perspectiva Evolucionista. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Vol. 26 n. 2, pp. 245-252. Abr/Jun, 2010.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8 ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

MOREIRA, Marilda Maria da Silva. Assédio sexual feminino no mundo do trabalho: algumas considerações para reflexão. Serviço Social em Revista, Londrina, v. 4, n. 2, 2012.

NASCIMENTO Luiz Antônio do; SANTOS Eduardo Toledo. A indústria da construção na era da informação. Ambiente Construído, Porto Alegre, v.3, n.1, p.69-81, jan./mar.2003.

PIRES, Álvaro. Amostragem e pesquisa qualitativa: ensaio teórico e metodológico. In: A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008.

ROSALDO, Michelle. O Uso e o Abuso da Antropologia: Reflexões sobre o Feminismo e o Entendimento Intercultural. In: Revista Horizontes Antropológicos, v.1, n.1, Porto Alegre, 1995.

SILVA, Mayana Hellen Nunes da; SOUSA Sandra Maria Nascimento. Gênero e sexualidade: representações em imagens e narrativas cinematográficas. Cad. Pesq., São Luís, v. 16, n. 3, ago./dez. 2009.

SUAREZ, Mireya. Gênero: uma palavra para desconstruir ideias e um conceito empírico e analítico. In: Encontro de intercâmbio de experiências do fundo de gênero no Brasil. 1, 2000. Gênero no mundo do trabalho. Brasília, 2000.

SWAIN, Tania Navarro. Feminismo e recortes do tempo presente – mulheres em revistas “femininas”. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 15, n. 3, p. 67-81, 2001.

THIOLLENT, Michel Jean Marie. Crítica metodológica, investigação social e enquete operária. São Paulo: Polis, 1987.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução a Pesquisa em Ciências Sociais: Pesquisa Qualitativa em Educação. São Paulo: Atlas, 1987.




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2016.v9i1.212

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.