AS FORMAS COMPLEXAS DO MUNDO DA PRODUÇÃO: as transformações da modernidade e os impactos no trabalho intelectual no Recôncavo da Bahia.

Camillo César Alvarenga

Resumo


A presente pesquisa procurou investigar as relações sociais oriundas dos processos de modernização do mundo do trabalho no Recôncavo da Bahia, a partir dos espaços privados de formação educacional em nível superior da região. Objetivando entender a lógica entre oferta de vagas e cursos, formação e demanda de profissionais para o mundo do trabalho. Na leitura do contexto local, em questão, foram destacadas 2 cidades – Cachoeira e Governador Mangabeira – por possuírem os seus respectivos centros de ensino, mais desenvolvidos em relação a outras instalações nas cercanias. Evidenciou-se uma realidade na qual a tendência das ofertas se faz em função de uma formação técnica operativa e voltada para área da saúde e licenciaturas. A partir da pesquisa, infere-se com base numa leitura sociológica, sustentada metodologicamente em bases exploratórias de bibliografia necessária, juntamente com aplicação de questionários e visitas as instituições, que, na realidade observada, a capacitação de intelectuais a serviço da economia da produção das formas sociais locais, bem como uma parcela de mão de obra, formada nos centros, serve predominantemente ao preenchimento de vagas no setor de Educação.

 


Palavras-chave


Sociologia do Trabalho; Sociologia da Educação; Ensino Superior privado; Recôncavo da Bahia.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Ricardo. Adeus ao Trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho – São Paulo: Cortez: Campinas, 2000.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. Pierre Bourdieu; introdução, organização e seleção Sergio Miceli. – São Paulo: Perspectiva, 2009.

DURKHEIM, Émile. Educação e Sociedade. In: A educação leitura de sociologia da educação/[organizadas por] Luiz Pereira e Marialice M. Foracchi -- 13 ed. -- São Paulo. Editora Nacional 1987.

FALCÓN, Gustavo. Recôncavo afrobarroco a face hegemônica da Bahia. In: Panorama Cultural da Bahia./ Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia; Secretaria da Cultura. – Salvador: SEI, 2012.

GRAMISCI, Antonio. Os intelectuais e a Organização da cultura; Tradução Carlos Nelson Coutinho. 4º edição, - Rio de Janeiro - Civilização Brasileira, 1982.

MÉSÁROS, István. A educação para além do capital – São Paulo: Boitempo, 2005.

NUNES, Edson (Org.) A aventura Sociológica. São Paulo: Vozes, 2004.

PASSOS DA CUNHA, Silvio Humberto. Resolve-me ou te devoro! Uma discussão sobre a falta de braços do Recôncavo baiano. In Bahia Análise de Dados, v.1 – Salvador: Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia, 2000.

PEDRÃO, Fernando Cardoso. Novos rumos, novos personagens. In: BRANDÃO, Maria de Azevedo, org. Recôncavo da Bahia: sociedade e economia em transição - Salvador: Fundação Casa de Jorge Amado; Academia de Letras da Bahia; Universidade Federal da Bahia, 1998.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. “O pesquisador, o problema da pesquisa, a escolha de técnicas: algumas reflexões”. In: LUCENA, Célia Toledo et alli. Pesquisa em Ciências Sociais: olhares de Maria Isaura Pereira de Queiroz. São Paulo: Humanitas, 2008.

SORIANO, Raúl Rojas. Manual de pesquisa social. Petrópolis: Vozes. 2004

WEBER, Max. Os Pensadores. São Paulo: Editora Abril, 1980.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Companhia das Letras. 2010.




DOI: https://doi.org/10.28950/1981-223x_revistafocoadm/2015.v8i1.133

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais

e-ISSN: 1981-223x 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.